sexta-feira, 25 de novembro de 2011

Só por hoje e só por alguns minutos

Só por hoje e só por alguns minutos (na verdade acho que seriam algumas horas) eu queria que alguém pudesse me ouvir. Alguém que não me julgasse, não me condenasse por antecipação e sobretudo tentasse entender as coisas que tenho pra dizer olhando da minha perspectiva.

Eu tehno que sorrir o tempo todo para meus clientes, eu tenho que ser divertido com minha filha eu tenho que na minha igreja ser uma pessoa equilibrada.

Acontece que eu não quero sorrir, eu não quero ser divertido e muito menos quero ser equilibrado. Eu quero chorar em voz alta, soluçar mesmo, eu quero dizer das minhas dores, falar de cada uma delas lavar a minha alma e deixar ela secar no Sol.

Eu quero entender por que meu pai fez o favor de me deixar antes de eu nascer, por que minha mãe casou com alguém que gostava dela mas não de mim e por que aos 38 anos de idade eu ainda quero ser aceito por todo mundo só pra provar pra esse cidadão que alguém pode gostar de mim. Na verdade, acho que ninguém pode gostar realmente de mim e talvez nem eu mesmo goste, porque eu sempre enfio os pés eplas mãos digo coisas na hora errada, sou explosivo, irracional muitas vezes e vivo magoando quem tenta gostar de mim.

Se meu pai tivesse deixado apenas um bilhete, uma nota explicativa talvez, tipo "acho que você vai ser feio" (acertou), burro, (errou redondamente) e não está a altura de ser chamado de meu filho" eu entenderia perfeitamente.

Mas não, preferiu simplesmente sair fora, sem uma única palavra. Eu queria que alguém me ouvisse também e me ajudasse a entender o porque dessa instabilidade toda. Não posso me esconder só no abandono do meu pai (que diga-se de passagem se estiver vivo e resolver me dar um abraço que seja será muito bem recebido) devem existir outros motivos.

Ultimamente eu tenho me sentido tão triste, mas tão triste que chega a doer fisicamente. Eu sei quue eu deveria emagrecer mas como tanto por conta da mninha ansiedade e da minnha tristeza que só faço engordar. Eu pesava 68kg com 18 anos, nada justifca eu pesar 123 agora! Nada.

Eu queria um abraço sabe? Um abraço de alguém que ficasse quieto e só me abraçasse alguém que me disesse "ei, relaxa, vai ver o mar e esquece clientes, contas e tudo o mais, deposita tudo aqui nesse abraço e vai embora mais leve".

Mas a real é que me vejo tão feio, tanto fisicamente, quanto emocionalmente que acho que ninguém seria capaz de um gesto desse para comigo. Eu sento nos bancos das igrejas que eu vou a cada Sábado e olho as pessoas.. todas parecem felizes conectadas com Deus, enquanto eu to ali, realmente sem ter a menor ideia do que faço sentado ali desfilando conceitos de uma lição que eu nem preciso estudar pra chegar a conclusões que são admiradas por todos.

E dai? nada aplaca o vazio que eu tenho aqui. Nada me faz me ver de forma melhor nada me diz que eu posso ser melhor talvez porque eu me conheça tão bem que eu saiba perfeitamente que nada pode me servir como redenção.

Anyways, esse texto já degringolou totalmente. NMelhor eu parar de escrever antes que fique tão ou mais ridiculos que "day 1" e "day 2" marcos da minha incapacidade de expressar sentimentos.

O grande problema da minha vida na real mesmo é achar que eu sou uma grande coisa, quando não sou nem uma coisa, nem outra!

É isso.

Ouvindo: Canadians Songs
Postar um comentário