domingo, 30 de abril de 2017

domingo de bosta, belchior se foi



só os caras legais estão morrendo. os bobocas do sertanejo universitário estão todos vivos. os do funk então, nem se fala, todos ai fazendo suas músicas imbecis. dai, semana passada jerry adriane se vai e hoje, belchior.

"paralelas" para mim seu maior sucesso e uma das músicas mais brilhantes da nossa mpb (tarefa muito difícil quando se leva em conta a quantidade de musicas excepcionais que a mpb comporta) tocará ainda por muitos e muitos anos e sempre haverá o debate se a melhor versão é a de vanusa ou a do próprio belchior, (eu sou do time de vanusa).

e sou vanusa porque belchior ao contrário de jerry adriano sempre foi um intérprete de dar dó de tão ruim. sua voz anasalada e abestada só era suportável porque embalava músicas que eram de uma qualidade indiscutível. belchior não veio ao mundo para brincar de compor, veio para ser um dos grandes. e conseguiu.

a morte de belchior serve para lançar uma luz também em duas músicas que podem até ser melhores que paralelas, porém menos conhecidas e muito menos palatáveis por sua inteligência extrema e som absolutamente anti comercial. certamente a audição de "na hora do almoço" faria um adorador do sertanejo universitário ter um aneurisma de tanto usar o cérebro pra tentar entender sequer uma frase e evidentemente um funkeiro se suicidaria ante a angustia de ouvir tal canção.



claramente um contraponto a não menos brilhante "panis et circensis" na hora do almoço é um retrato do vazio que acompanha a familia brasileira a décadas. enquanto panis claramente debocha da hipocrisia reinante no seio familiar padrão, hora do almoço destroça a tudo isso sem dó. um tapa na cara  daqueles que defendem modelos falidos de relacionamento, mostra toda a genialidade de belchior. vale ouvir



"a palo seco", é um chamado a um sentimento de latino-americanidade, tem pretensões de hino, mas não chega a tanto. brilhante, porém menor que as acima citadas, tem uma linha de baixo fantástico no arranjo original, mas resvala, por conta do pensamento vigente na época entre os artistas ditos de vanguarda da qual belchior não conseguiu se desvencilhar um ranço desnecessário da citada latino americanidade que não serviu para nada. mas vale ouvir



belchior estava sumido. dividas, o esquecimento da mídia, tudo isso fez com o que cantor, compositor e também professor da rede pública de fortaleza estivesse escondido em algum grotão do rio grande do sul, velho, entristecido e infelizmente, esquecido. espero, assim como também espero no caso de jerry adriane que a gravadora responsável por seu acervo lance uma caixa que honre o seu legado.

Domingo de bosta, belchior morreu.

é isso.

ouvindo: belchior
Postar um comentário