sexta-feira, 7 de julho de 2017

uma familia de dois. um grande filme pequeno



existem filmes que tocam o coração e a alma exatamente por serem pequenos, projetados não para serem "blockbusters", mas para falar com algumas pessoas de coração mais sensível e alma leve. "uma família de dois" é um desses filmes que se propõe a emocionar sem  ser piegas e a fazer rir sem ser escrachado. nem sempre consegue e afinal, qual filme consegue ser tudo o que se propõe? mas o resultado final é muito, muito bom.

é muito gratificante entrar no cinema e comprar ingresso para um filme que você não faz a menor ideia do que se trata e ser positivamente surpreendido. fui assistir "a múmia' e já sabia o que encontraria, mas não haviam mais ingressos disponíveis e para não voltar pra casa sem assistir nada assistimos graziela e eu, o filme mencionado e acreditem, vale e muito cada centavo do ingresso!

não que omar sy, o protagonista, seja um primor de ator, nada disso. mas também não compromete, e a graciosa gloria colston  é uma daquelas atrizes mirins apaixonantes, que te fazem ficar com os olhos grudados na tela querendo ver onde o filme vai chegar e muito embora o filme não chegue a ser uma obra prima, é uma daqueles grandes filmes pequenos.

e quando falo que é um filme pequeno, digo isso por ser um filme de baixo orçamento, produção precária se comparada aos  blockbusters que se produzem hoje em dia e pequeno nas expectativas que cria em torno de si. um filme que se faz muito mais para se contar uma boa história do que para se ficar rico e este é um dos principais critérios para que um filme tenha alma. contar uma boa história deveria ser o centro de qualquer filme mas nos dias de hoje, onde grupos de pesquisas definem os rumos de um filme comercial, fazendo com que sequências inteiras seja refilmadas ou mesmo deletadas do corte final, ver que a preocupação dos produtores e do diretor  foi antes de mais nada criar um filme que fosse integro é neste momento que o filme se torna grande.

quando as limitações seja de orçamento, seja do que for não impedem de se contar uma história de forma digna e correta, por menor que seja o dinheiro disponível para tocar o projeto, ele já nasce grande, ja se torna memorável porque não é o dinheiro que faz um filme ser bom e sim a alma que ele desenvolve e neste sentido, "uma família de dois" é um filme que tem alma  e merece e muito, ser assistido. não perca a chance, e leve um lenço. ele será útil.

é isso.

ouvindo: Luís Miguel
Postar um comentário