terça-feira, 18 de julho de 2017

uninvited



assim canta alanis morissette  na primeira estrofe de  "uninvited": "mas você não foi permitido, não foi convidado, um infeliz desprezado". tenho 44 anos, a 48, em qualquer lugar que eu chego e fico mais de 10 minutos, é assim que eu me sinto. algumas pessoas tem vontade de mudar o nome por acha-los feios. gosto de meu nome, acho ele lindo na verdade, mas o seu significado não faz sentido para mim. davi, significa "o amado" e definitivamente não é o meu caso.

noemi, personagem bíblica de fascinante história cujo o relato encontra-se no livro de rute (se quiser saber vá lá e leia, não vou por link, acho o cúmulo da preguiça), mudou o seu nome para "mara" que significa "amarga. acho noemi um lindo nome, de verdade, mas mara, tem muito mais a ver com uma mulher que perdeu os filhos e não tinha mais marido e que se achava até mesmo perseguida por Deus. amargos eram os seus dias e amargo era o seu cálice. porque deveeria ela continuar a se chamar noemi?

e me pergunto eu, porque deveria continuar a me chamar davi? uninvited é muito mais adequado. como eu disse acima, não há lugar que eu chegue em que eu me sinta bem quisto, bem recebido, amado. minha presença não é agradável as pessoas e exceto por algumas habilidades inerentes a minha pessoa, sou absolutamente uninvited. e é exatamente isso que tem me incomodado ultimamente.

por muito tempo não me importei com o fato de ocupar determinada posição apenas por conta de habilidades "a" ou "b", mas de um tempo para cá, me incomoda sim. e muito. tenho percebido que não sou tão diferente da maioria das pessoas em alguns aspectos e o aspecto "aceitação" é um deles. me incomoda não ser aceito e pior, não ser compreendido. não, não é um lamento, mas uma constatação.

o lance de ter a presença imposta me incomoda. talvez fosse melhor não comparecer. deixar na mão. não usar minhas habilidades e pronto. porque quanto mais as uso e as uso de maneira séria, apaixonada, correta, sou mais incompreendido e uninvited eu sou. agir de forma correta, digna, não me faz alguém bem vindo, ao contrário. triste não?

gostaria de ser aceito ma o preço a pagar é muito alto.me faz desistir. melhor mesmo ser uninvited e se pudesse, com toda certeza mudaria de nome. mas nossa sociedade é tão maluca que nem mudar de nome é possível sem uma boa dose de encheção de saco.

é isso.

ouvindo: alanis morissette com uninveted 
Postar um comentário