sexta-feira, 6 de outubro de 2017

Quando Fui Ronnie Von



Quem me conhece pessoalmente ou mesmo quem me segue aqui no blog (suckers), sabe de minha admiração total e irrestrita a Ronnie Von. Músico de primeiríssima grandeza, apresentador dos mais competentes e um gentleman acima de qualquer suspeita. Acho esse negócio de mundo das celebridades muito chato e embora Ronnie tenha estatura para ser considerado uma celeb, age exatamente como uma anti celebridade com seu jeito discreto, consciente e nada afetado. Ronnie, enfim, é o cara.

Sempre o admirei e sempre brinco que se eu pudesse escolher ser alguém, escolheria ser Ronnie. Confesso que não tenho a menor fineza para tanto, sou da linha daquela música da Marisa Monte que diz que naquela casa, "nos dias que tem comida, comemos comida com a mão, nós rimos alto, bebemos e falamos palavrão", ou seja, nada a ver com  o jeito refinado de Ronnie, mas eu gostaria sim de ser como ele.

Claro que jamais serei em tempo integral, não tenho estofo intelectual, cultural e mesmo de postura para tanto, mas a duas noites atras, percebi que posso ter lampejos de Ronnie e acreditem, isso me fez feliz, muito feliz. Um dia na vida consegui me comportar como Ronnie Von? putz! Já posso morrer feliz.

Duas noites atras tive um desentendimento com uma pessoa, ou melhor, ela teve um desentendimento comigo na frente de várias outras pessoas. Algo muito chato, constrangedor e que me faria querer fazer voar mesas e cadeiras ao redor a altitudes estratosféricas. Mas quando me preparava para dar meu primeiro grito, dar o primeiro soco na mesa, eis que me ocorreu um pensamento: O que faria Ronnie Von diante a tantos insultos?

E simplesmente comecei a arruma r as minhas coisas e me preparar para ir embora. Sem levantar o tom do voz apenas respondi de forma até tímida a tudo o que ouvi. Abaixei a cabeça e em aparente derrota, que hoje compreendo como uma grande vitória sobre mim mesmo, vencendo meus instintos mais baixos, e apenas internalizei e absorvi tudo o que ouvia. Sem gritar de volta, sem bater em nada, sem desvario algum.

Na noite em que fui Ronnie Von, por incrível que pareça tive todo tipo de questionamento no sentido de saber porque não agi como as pessoas esperavam que eu agisse, batendo portas e gritando mais alto que minha "oponente". Eu mesmo me questionei sobre isso, eu mesmo não entendi meu jeito de ser mas hoje me orgulho da forma como me conduzi.

Não sei se conseguirei continuar a ser dessa forma mas sei que vou me esforçar para tanto. Preciso, aos 44 anos, ser uma pessoa mais equilibrada, mais racional. este é o projeto, este é o desejo. Não saberei a diferença entre um vinho Australiano e um Italiano, não saberei jamais comer com mais que garfo e faca, não saberei também apreciar caviar e coisas do tipo, mas posso sim ser uma pessoa melhor, mais ponderada, mais Ronnie Von . é a ideia e ideias carecem sempre de desenvolvimento.

Quem sabe da certo?

É isso.

Ouvindo: Ronnie Von
Postar um comentário