quinta-feira, 5 de outubro de 2017

Tempo de mudar



É tempo de mudar. É tempo de reinventar-me mais uma vez. É momento de ouvir quem gosta de mim e quer o meu bem, é hora de buscar toda a positividade que sempre tive e ficou de repente escondida em algum lugar inacessível dentro de mim mesmo. É tempo de abrir as janelas, bater o pó que se acumulou, deixar o Sol entrar afinal, é Primavera.

É tempo de viver as luzes,  sentir o aroma das flores, admirar a beleza do azul do céu, procurar formas inusitadas nas nuvens deitado na grama. É tempo de despertar.

Tenho andado já faz um tempo com uma tristeza muito, muito profunda. Daquelas que paralisam, que fazem tudo virar um cinza escuro monótono e vazio. Tenho vivido com muita saudade da pessoa que sempre fui, com uma disposição inquebrantável, uma coragem além dos limites e um otimismo que não se desfaz. Cade eu? Onde eu me meti? Por que essas nuvens me impedindo de ver que a vida tem muito mais a me dar além do tanto que já me deu do que qualquer pessoa ou acontecimento possa me tomar? Onde esta a minha gratidão por tudo o que já vivi de bom, positivo? Quem é esse espirito que tomou conta de mim nos últimos meses?  Quem quer que seja, vai se retirar hoje, porque eu sou som, fúria, calor e cor.

Ontem a noite, algo aconteceu comigo e foi fator decisivo para mostrar quem eu sou. Não preciso brigar e nem me entristecer se eu for integro e estiver agindo com integridade Se meus atos forem para o bem, eles me justificarão mesmo que as interpretações acerca deles sejam equivocadas. Ser integro da menos trabalho do que parecer integro sempre soube disso, mas parece que me esqueci nestes últimos meses.

Eu sou uma pessoa boa e não preciso provar, preciso viver, apenas isso. Quem quiser ver, que veja.
Mudanças sempre são necessárias ao longo da vida, mas a essência tem que permanecer. Chega a ser um pouco engraçado eu ter que mudar neste momento para voltar a ser quem sempre fui. Existem lobos dentro de mim e as vezes eles teimam em tentar tomar o controle. Não vão conseguir. Meus princípios são mais fortes do que escolhas pontuais que faço e podem me levar a estados emocionais alterados.

Sei quem eu sou e ainda sim me descubro todo dia e todo dia aprendo sobre mim e sobre as coisas e pessoas. Não sou um ser estático e nem posso ou quero ser. É tempo de mudar, tempo de ser o Davi de sempre, só que melhor, renovado, uma atualização positiva. Chega de choro, chega de mágoa, chega de curvar-se a quem quer que seja como se disso dependesse a minha vida. Nunca dependeu e jamais vai depender. Eu sou Davi Miranda Rocha e minha vida depende apenas do rumo que eu dou a ela.

É isso

Ouvindo: Leonardo Gonçalves e seu espetacular  Avinu Malkenu
Postar um comentário