quarta-feira, 29 de novembro de 2017

Blackout



Faz dias que venho tentando escrever. Dias. Sobre os mais variados assuntos, puxando daqui e dali o que falar sobre o que quer que seja, mas não consigo, simplesmente não consigo. Vivo um blackout criativo. Na verdade, é muita pretensão minha falar sobre  blackout criativo pois não sou uma pessoa tão criativa assim. Meus textos, quase todos muito ruins e alguns pouco muito bons, saem todos eles a fórceps, depois de muita labuta e uma insana briga interna. Saem cuspidos, empurrados para fora e muitas vezes me envergonho do que escrevi. Mas agora, nem estes textos querem sair. Que lástima.

O processo de escrever um texto, quando levado a sério, pode ser muito, muito complicado e nada divertido. A angustia de saber se as palavras escolhidas foram as melhores, se vão agradar e sobretudo se vão fazer o texto ser compreendido, tudo isso desperta uma enorme ansiedade sobre o que e como escrever e há mais ou menos dez dias não consigo chegar a nenhum resultado satisfatório. É estranho, admito,  mas talvez seja reflexo de estar lendo menos, estar acompanhando menos o mundo, enfim, venho me sentindo alienado da realidade sob vários aspectos. Logo quem, logo eu?

Claro que existem fatores tanto externos quanto muita coisa interna minha que bloqueiam a escrita, venho passando por um período de muita tristeza, uma tristeza profunda que desconheço de onde vem na verdade mas que me consome aos poucos. Por outro lado no aspecto profissional, também não estou nos melhores momentos, uma insatisfação, um inquietamento me impedem de ser pleno, ainda que continue dando o meu melhor, me falta a felicidade de outrora.

Quando a vida esta em suspenso, falta inspiração, essa é a verdade. Falta luz, cor, canção. Quando a vida esta em suspenso, falta aquela centelha que mantem a chama acesa e ela pode de uma hora para outra se apagar. O blackout temporário pode virar uma escuridão permanente daquelas que não se consegue sair. Quando a vida esta em suspenso, textos ruins viram obra de arte porque é tudo o que se conseguiu produzir.

É isso

Ouvindo: Point Of Grace
Postar um comentário