terça-feira, 13 de fevereiro de 2018

Ontem Encontrei Rafaela



Ontem, voltando para casa, encontrei Rafaela. Não foi combinado, foi o acaso que nos colocou na mesma estação de trem no mesmo horário. Estávamos a dias sem nos ver mas seus olhos brilharam ao cruzar com os meus. Sua atitude respeitosa ao vir me cumprimentar, sua timidez habitual, (sim, ela herdou a minha timidez também entre tantos outros traços),  sua voz baixa, eu estava com saudades de tudo isso. Muita saudade.

Me apresentou o namorado e parece que gosta dele. Rapaz de poucas palavras para comigo o que é natural, afinal o que teria ele para falar comigo? Chamei Rafaela de lado e conversamos um pouco. Ela continua a mesma menina linda, agora com uma mecha rosa no cabelo que me desagrada muito. Mas hoje percebo que é o cabelo dela e não posso mais gerencia-lo. Fez também 4 tatuagens, todas pequenas e delicadas e surpreendentemente bem feitas. Não, não aprovo, mas isso não importa para ela. Ela fez e esta toda prosa por ter feito. Ok, filha, se fez e te faz feliz, tudo certo.

Ela não e mais a minha menininha, mas vai sempre ser a minha menininha, como isso é louco não? Eu não posso segura-la agora, ela vai viver suas experiências, para o bem e para o mal e me resta estar ao lado dela, como sempre estarei. Minha filha, a única coisa boa que saiu de mim, o único feito que me orgulho, uma pessoa muito melhor que eu mesmo, mais inteligente inclusive esta tomando decisões. Vivendo a sua vida e vai errar e acertar, vai ser feliz.

Seu telefone tinha quebrado e ela gostava tanto dele... Incrível como sem me consultar fez algo que eu faria, vendeu o violino,  encostado no canto do quarto dela, gritando para  não ser abandonado pelo óbvio talento que ela possui para toca-lo, mas ainda sim ignorado até então e arrumou o violão. Eu faria o mesmo porque o violino não interessa mais para ela que não deve ser escrava de seus talentos afinal de contas. Se não gsta mais de tocar, que não toque. Esta feliz com o telefone. Isso basta

Me pediu desculpas por nossa última briga coo se precisasse pedir desculpas para ser desculpada. Minha garotinha esta buscando seu caminho e percebo isso. Sei que vou me orgulhar do ser que ela vai se tornar, sei que em meio aos erros que ela comete existe uma menina doce, que aceta muito também e tem um bom coração, é uma pessoa do bem. Ser pai de Rafaela é algo que me faz feliz. Ver a minha filha começar a caminhar, ser melhor do que eu mesmo jamais serei me enche de alegria o coração.

Daqui a exatos cinco meses ela faz 18 anos. 18 anos! que alegria, mas ela poderia ter parado nos 15, quando ainda usava o cabelo comprido a meu pedido e era a minha Rafaela. Hoje, ela é a Rafaela, mas sempre estarei aso seu lado, apoiando e se precisar estarei na frente abrindo caminho e se precisar estarei atrás, dando retaguarda.

Te amo, filha e te amo tanto e tanto te amo que não saberia mensurar a quantidade desse amor. Por você, mato e morro.

É isso

Ouvindo: P.C Baruk
Postar um comentário