segunda-feira, 21 de novembro de 2011

Um sentimento de perda, mas perda do que nunca se teve é uma perda?

Ultimamente eu me sinto tomado por um sentimento de perda. Perda de algu que na verdade nunca tive, mas que conheci, amei desejei e sei que não terei. Coisa louca! Como sentir-se triste e desiludido por algo que nunca se teve.

Se você não conhece a delicia de um pudim de leite não pode sentir-se chateado por nunca te-lo comido certo? Acontece que um pudim é só um pudim e algumas outras coisas (e pessoas também) tomam uma dimensão completamente diferente.

É possível sim amar a algo ou mesmo alguém sem nunca ter tido o objeto de desejo. É claro que amor é uma palavra forte demais muitas vezes mas troca-la por desejo não traduz o que se pensa muitas vezes porque se é verdade que o amor é algo puro, belo que sente-se por alguém especial é também verdade que ele pode ser intenso, forte como uma tempestade e não chamar-se paixão por causa disso.

É engraçado como podemos nos apegar tão rapido a algo e sentir real falta disso em nossa vida, mais falta do que ocisdas que temos a 20, 30 anos e esse sentimento é uma mistura de encantamento, sofreguidão, loucura, calma, algo tão forte e tão suave ao mesmo tempo que simplesmente não consigo definir ao certo.

A vida vive pregando peças o tempo todo, te apresentando novas senssações, sabores, pessoas, lugares e a forma com que processamos essas informações a forma com que algo pode nos encantar fazendo com que tudo mais pareça sem graça e sentido é algo que eu queria muito entender mas não consigo.

Não sei se é a forma, o cheiro, a beleza pura e simples ou se é uma mistura de tudo, sei que ando sentindo falta de algo que nunca tive e cada dia essa falta aumenta um pouquinho mais e mais e mais... e talvez seja assim que tem que ser... uma doce loucura que me embala, alegra e entristece ao mesmo tempo...

É isso

Ouvindo: Cindy Morgan
Postar um comentário