quinta-feira, 1 de dezembro de 2011

La Piel que Habito (A Pele em que Habito)

Antes de mais nada Almdovar como sempre termina este filme na hora certa. Sem explicações baratas, sem filosofia de araque sem psicologismos de botequim. Acabou, pronto, entenda você o que quiser.

A pele em que habito é um monstruoso exercicio de cinema, de bom cinema, de cinema excelente, que não se curva ao mercado. Ontem havia fila para ver "Amanhecer parte 1" a bobagem sobre um vampiro que não gosta de sangue. Eramos Sintia, eu e mais 8 almas para assistir o que talvez seja o mais magnifico Almodovar em muito tempo.

Almodovar é sim uma grife, mas não com a futilidade que a palavra "grife" carrega para a maioria das pessoas. Você sabe que vai ao cinema e vai sair de alma lavada. Sabe que vai se chocar, sabe que ele vai esfregar a sexualidade periclitante dos seres humanos na sua cara de forma a zombar de suas convicções mais arraigadas e sabe que vai ficar ao menos um mê stentando encaixar os desdobramentos do que assistiu. Mas é exatamente para isso que serve o cinema.

Cinema não é Transformes, não é Fast and Furious da celebre frase "para fazer drifting é preciso praticar" Oh, Really? achei que era entrar no carro e sair fazendo, como sexo, mas quem gosta desses filmes não curte muito sexo, prefere só a testosterona em forma concentrada que esses "filmes" oferecem.

Em A pele que habito, Antonio Bandeiras que na mão de diretores equivocados pouco mais é do a caricatura de um Latin Lover bobalhão mesmo que o papel esteja a milhas disso retoma todo o seu brilho de espetacular ator que realmente é. Dá um show como o atormentado médico que... bom... não da pra falar nada sem entregar o filme então não vou falar nada.

Mas posso falar sobre os questionamentos que ele desperta:

Somos o que nossa aparência mostra que somos? Ou se nossa "pele" fosse outra, seriamos diferentes também? Nossa essência é composta que que exatamente? O que é o amor? E a loucura? Qual o limite para uma intervenção na insanidade de alguem? Ou não se deve intervir porque cada um vive sua vida?

A pele que habito tem isso e muito mais além das cores quentes de Almodovar e de sua vontade em fazer sempre o melhor fime possivel.

É isso.

Ouvindo: Beatles
Postar um comentário