terça-feira, 29 de agosto de 2017

professores que apanham, alunos que batem, um mundo desintegrando-se



tenho escrito pouco no blog. não vejo assuntos relevantes, minhas pirações são chatas, a vida anda meio em suspenso e o mundo anda desintegrando-se cada dia mais a ponto de eu pensar que cada dia pode realmente ser o último na história conturbada da humanidade. tenho repetido isso quase como um mantra. um mantra negativo, é bem verdade, mas não há muito mais o que dizer diante do estado deplorável ao qual nossa sociedade chegou. o mundo esta desintegrando-se, o mundo vai acabar, o mundo, na verdade, já acabou.

professores apanhando de alunos? professores encurralados em escolas tanto públicas quanto particulares? pais tentando justificar o comportamento injustificável de seus filhos ao invés de orienta-los que espécie de pais tentam justificar o filho que deixou a professora com o olho roxo e ainda mente descaradamente  dizendo ter sido moralmente atingido? não, não acho que pais tenham que bater em seus filhos para puni-los, seria tão estúpido quanto a atitude primeira de seus rebentos, mas que tal educa-los, que tal faze-los ver e estultícia de seus atos? que tal escancarar para o mundo que além de não apoia-los medidas serão tomadas? que tal expô-los a vergonha? que tal fazer alguma coisa para ao menos fingir que se importa? é uma vergonha as coisas ficarem de uma forma em que parece que ninguém se importa e no fundo, ninguém se importa mesmo.

quando uma sociedade permite que alunos fiquem impunes após agredirem seus professores, estamos abrindo um precedente para que toda e qualquer agressão a quem quer que seja, seja relativizada. se nosso silêncio se impõe antes as atrocidades cometidas por seres que ainda nem iniciaram a sua vida adulta, dizemos a eles de forma silenciosa mas poderosa que sim, eles podem ser adultos sem limites e tudo bem, tudo lhes será perdoado. como assim??? vamos renunciar a educar essa geração? ela reinará impune? será a próxima geração aquela que por total falta de limites  vai implodir mantando-se uns aos outros por não entender que o seu limite deve ser respeitado assim como o da pessoa a seu lado?

o mundo esta acabando. caminha para o seu fim de forma coordenada e a passos largos, céleres. tal qual zumbis impotentes nos limitamos a observar a perfídia tomar conta de tudo e todos ao nosso redor. e tudo bem, pensamos, desde que possamos ao menos fingir que estamos em segurança em nosso mundo de faz de conta. ninguém está. nos corrompemos tanto quanto todos os outros  a quem acusamos de corrupção, seja moral ou financeira, porque aceitamos calados todo tipo de esbórnia a nossa volta com o cândido argumento que não participamos dela.

não parar esses jovens espancadores de professoras e concordar com eles. e assim a vida caminha em um mundo que esta acabando, que já acabou, e que vai acabar ainda mais.

é isso

ouvindo: j. cash
Postar um comentário