segunda-feira, 7 de maio de 2018

Pra Quando a TV Não Mais Se Interessar (Uma Carta Para Os Desabrigados Da Ocupação No Centro De SP)







Uma hora, e não vai tardar, os canais de TV sejam abertos sejam a cabo vão cansar de vocês e arrumar notícias novas. Não é nem que vão se cansar, a vida, por dinâmica que ela é, se encarrega de trazer novos fatos a baila e torna-los mais importantes e mais urgentes de serem noticiados. A tragédia de vocês se tornará apenas isso, a tragédia de cada um de vocês e poucos abnegados serão os que irão continuar a ajuda-los seja com doações, seja com o que for.

E o Largo Do Paissandú, retrato hoje tanto de um centro de SP cidade que eu tanto amo, degradado, destruído pelo descaso do poder público quanto um retrato sem retoques do sofrimento  de vocês que hoje desalojados estão, logo não poderá mais ser a moradia precária que hoje vocês habitam. Porque hoje aquelas barracas onde vocês tentam manter o  pouco da dignidade que resta serão removidas por uma prefeitura que se não podia fazer nada por vocês enquanto estavam dentro do prédio, foi célere em mandar homens e maquinas para limpar o entulho que se formou, afinal aquele monte de concreto despedaçado e ferro retorcido não traz votos.

Eu sei que no meio a dor que vocês sentem o Presidente da República foi até ai "prestar solidariedade". Sabemos que aquele Senhor não queria ser solidário com ninguém além dele mesmo e tudo não passou de um ato de hipocrisia monstro, mas deixemos os hipócritas para que Deus cuide deles e acreditem, Ele vai cuidar!

Mas o que eu queria que soubessem é que quando a TV parar de ir até ai e mesmo quando vocês não estiverem mais ai, ainda sim, existirão pessoas a lamentar o infortúnio que os acometeu. Existirão pessoas que lamentam por sua dor e mesmo pessoas que as sentem mesmo não sendo delas essa dor. Saibam que em igrejas, casas, centros de macumba e o que mais for, pessoas estão e continuarão elevando preces para que este sofrimento sem sentido cesse um dia. Para que esses políticos inertes que não ligam para nada e nem para ninguém, recebam  o castigo pela sua parcela de responsabilidade, para que a justiça se faça.

Porque eu sei que vocês estão fartos de ser apenas massa de manobra na mão de gente inescrupulosa que só quer ganhar com o sofrimento de você e que querem fazer da dor que vocês sentem nada mais que uma forma de vender anúncios nos intervalos dos telejornais. Michael Jackson fez uma música certa vez dizendo que ninguém se importava com os pobres, com os excluídos. Ele estava  certo, certíssimo.  Os poderosos não estão nem ai com o que quer que aconteça com vocês desde que vocês não os atrapalhem.

Eu espero que a solidariedade neste momento crítico prevaleça entre vocês e que quando o tempo for suficientemente longo para que ninguém mais lembre do acontecido com suas vidas, a vida os flagre em um momento diferente, melhor, mais solar, mais feliz. Que vocês se reconstruam, se reinventem, que a dignidade seja mantida que a dor passe e que as cicatrizes físicas ou emocionais sejam lembretes a vocês que os mantenham alertas contra os que quiserem novamente os tornar massa de manobra. E creiam, eles apareceram.

Nada dói mais do que ser tratado com indiferença, como se cada um de vocês fosse um pedaço de concreto naquele monte de entulho e não pessoas com demandas reais com sentimentos genuínos. Nada dói mais do que a percepção de que não somos vistos como seres humanos iguais a esses poderosos e sim, pessoas de segunda classe. Vocês não são! Tenham a mais absoluta certeza que vocês não são. Vocês são gente como eu, como todos os outros. E eu aqui termino pedindo a Deus que os proteja e mais do que os proteger, os tome em seus braços de Pai e os conforte, que seus anjos acampem ai com vocês protegendo, cuidando, apascentando. Somos todos tal crianças de um mesmo Pai e ele nos ama. Eu sei que Ele chora por vocês, que Ele os ama de forma incondicional.

Que o Eterno esteja com vocês!

É isso.

Ouvindo: Leonardo Gonçalves
Postar um comentário